(51) 3933-8458 | (51) 98311-7032 [email protected]

Não existe profissional “oculista” que esteja habilitado para prestar atendimento na área da saúde visual. O alerta é feito pelo Conselho Regional de Óptica e Optometria (CROO-RS). Somente optometristas e oftalmologistas possuem o credenciamento e o conhecimento necessários para prestar atendimento para a saúde visual e ocular.

O alerta deve-se ao fato de, nos últimos três meses, a entidade ter recebido denúncia de seis estabelecimentos ópticos, oferecendo serviço de atendimento de saúde visual de forma irregular, com os chamados “oculistas”. No Rio Grande do Sul estes serviços de saúde em ópticas são vedados por lei. O fato tem chamado atenção, segundo o presidente do CROO-RS, Alexandre Classmann, e levado a entidade a dialogar com órgãos de fiscalização e segurança para as medidas cabíveis. Em junho, o CROO-RS recebeu a notícia que um vendedor de óculos em Pântano Grande, interior do Estado, foi acusado de praticar optometria sem licença. O vendedor, na verdade, é técnico em óptica e foi levado para prestar esclarecimentos na polícia local.

“Estamos atentos a todas as irregularidades. Não vamos aceitar que outros profissionais se passem por optometristas, e sem qualificação, de forma irregular, pratiquem ilegalmente a atividade. Trabalhamos com atenção nesta questão e vamos procurar as autoridades competentes sempre que tenhamos algum fato grave nesse ponto”, destaca.

Diferente do técnico em óptica, responsável por receber a receita e transferi-la para o equipamento que produz a lente ou os óculos, os profissionais optometristas têm formação de nível superior e estão habilitados para avaliar a condição de todo o sistema ocular, aferindo sua integridade e sinais de deficiência visual que possam ser corrigidas com o uso de óculos, lentes de contato ou reabilitação visual. Esses profissionais também estão aptos a identificar sinais e sintomas de doenças que necessitem da intervenção médica, quando o paciente é encaminhado ao corpo clínico.

“Além do cérebro, os olhos são os órgãos mais complexos do corpo. É por isso que leva anos de escolaridade para se tornar um profissional que atua com a saúde da visão. Um optometrista leva cinco anos para ter sua licença. Um médico oftalmologista, que tem condições para fazer intervenções cirúrgicas e administração de fármacos, leva nove anos. Os requisitos mínimos de licença a optometristas incluem graduação em uma faculdade de optometria credenciada pelo MEC, local independente para atendimento aos pacientes e com as licenças sanitárias, além da filiação no Conselho”, explica Classmann.

O CROO-RS disponibiliza e-mail, telefone, WhatsApp e o site como canais para interessados em fazer denúncias de exercício irregular da profissão:

https://www.croors.org.br/denuncie

E-mail: [email protected]

Telefone: (51) 3933-8458

WhatsApp: (51) 98311-7032

Demanda por saúde visual

De acordo com o Ministério da Saúde, 30% das crianças em idade escolar no Brasil apresentam problemas de visão, que, quando não diagnosticados, afetam o aprendizado e podem até ser causa de evasão escolar. Já a Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta a miopia como a epidemia do século e prevê que, no próximo ano, cerca de 35% da população esteja sofrendo com o problema de visão.

Em 2050, o número de casos pode alcançar 52%. Mas, de acordo com a OMS, de 60% a 80% dos casos são evitáveis ou tratáveis, bastando diagnosticar e tratar precocemente.